Google+ Followers

sábado, 25 de julho de 2015

Tentando ser eu



Na verdade eu nunca soube ser ninguém, me vestia de muitos estilos para parecer menos
sombria e chata, mas o que queria era taxado na minha cara sempre que "achava esquecer"
ao meu redor sempre houve vozes querendo me por chapéus e silhuetas estranhas, corpos estranhos para me nomear a "filha" de quem, e quando podia fugir me trancava em um quarto que era
somente meu e vestia meus livros e andava em historias que por volta e  meia me chamavam a 
atenção, ao parecer que a noite caia e o tempo passava me via na agonia de estar vestida
com um vestido rodado em meio a festa dos outros;  sorria pra mostrar que estava tudo bem, comia para matar a minha ânsia de estar longe dali, sorria pra não ouvir os "porque's" de ser tão triste e diferente, gostava do meu "solo" pois só assim podia ouvir a natureza e sentir o vento tocar minha pele, as vezes dava para ouvir oque falavam em tom agudo que eu era triste de mais, só queria andar sozinha a "anti-social" da família - ela deve ter problemas - mas nunca ligava, mas permanecia na
minha mente que era um corpo estranho naquele lugar, passava noites acordada ao ver o grande céu estrelado ao amanhecer me deparava com lembranças de ter ido ao mar azul do céu -grande mar azul escuro- se isso era doideiras minhas não sei, mas era bom me tirava do
real em que me perdia diariamente seria aquela "garotinha" de sempre com um vestido rodado vermelho entre todos os outros negros e acinzentados da família. 

Autora: Chris Ht

Nenhum comentário:

Postar um comentário